31 dezembro 2013

As gémeas

A Glória é graciosa e muito generosa. Sempre de gesto galanteador para os gratos gabarolas, enche-os de gordas impressões de generosidade. Não é geralmente genuína, é verdade. Garante-se com um guião bem genial e grandioso. Já a gémea Gabriela, é gananciosa e gulosa. Grita a gosto as gramas ganhas em gulas momentâneas. Grelha sementes de girassol para garantir a garbosidade, mas grava-se a gordura, gloriosa. Gentilmente, ambas gostam de animais grandes e governados: grilos, gatos e girafas.

Clara Lopes, 37 anos, Agualva, Sintra 

Desafio nº 57 – palavras começadas por G em todo o texto, estando entre cada palavra com G, poderá haver até três palavras livres

Programas Rádio Sim, Dezembro 2013

Todos os programas, sempre com Helena Almeida, na Companhia da Rádio - podem ouvir-se aqui
(ou pelos links que estão em baixo)

Indicativo do Programa - Música e letra: Margarida Fonseca Santos; Arranjos, direcção musical, piano e voz: Francisco Cardoso - Histórias de Cantar CD - Conta Reconta

Horário na Rádio Sim - 21h20, todos os dias


Quer saber que histórias foram lidas? Vá por aqui:

Em Dezembro de 2013:
P146 – 2 Dezembro 2013 – desafio nº 51 – Concha Cassiano Neves
P148 – 4 Dezembro 2013 – desafio nº 37 – Amélia Magalhães

30 dezembro 2013

Programa 164 – 30 Dezembro 2013

OUVIR o programa! 
No site da Rádio Sim


Angustiado
O novo ano estava angustiado. Nunca um ano fora tão indesejado! E ele lera as histórias de outros que, antes de si, tinham entrado nesta corrida estranha de alinhar os tempos dos homens. A tarefa parecia fácil, mas agora, com tanta gente a receá-lo, custava! As últimas horas do ano anterior correram mais depressa do que o previsto, talvez fartas do ano que se fechava. O novo ano suspirou fundo. Era agora. E agora?! Inspirou... Entrou!

Margarida Fonseca Santos, 53 anos, Lisboa
Desafios 28 e 29 – Natal e Passagem de Ano

Thriller La Fontaine

Talvez só ela soubesse do sucedido.
Era fulcral que só ela soubesse.
Se a descobrissem, estaria tramada.
E se alguém a tivesse visto?
“Sei o que fizeste”, diriam.
“O que fizeste no Inverno passado”.
Mas quem poderia julgá-la?
Aquela cigarra nunca se calava!
No Verão só cantava, nada de trabalhar.
No Inverno só mendigava, nada de cantar.
Era sempre assim!
Já farta, convidou-a para jantar.
Serviu-lhe pão com cogumelos.
Deixou-a estrebuchar.
Enterrou-a no quintal.

Firmino Bernardo, 37 anos, Lisboa,
Mais histórias aqui: www.vidaparaesquecer.blogspot.com

29 dezembro 2013

Véspera de Natal

Como de costume, Hermínia foi levar metade da sua sopa ao vizinho e fazer-lhe um pouco de companhia. Ambos partilhavam a vida com a solidão.
Quando voltava para casa, reparou que a sua luz estava acesa, apesar da certeza de a ter desligado.
Ao abrir a porta, foi em lágrimas que viu a mesa posta com a comida que o filho, tão ausente, trouxera e junto à lareira, os netos colocavam os presentes.
Era véspera de Natal!

Maria de Fátima (Esteves Martins), 44 anos, Coimbra
Desafios nº 28 e 29 – Natal e Passagem de Ano

Glorificar a quadra

Gentilmente sacudiu a geada. Mas o granizo ainda gorgolejava através das grelhas.
Conhecia aquela garotada cheia de genica. Achava genial que gostassem de o golpear com partidas gotejantes.
Mesmo assim, governava o galinheiro, ignorando gracejos.
As galinhas tremiam, gemendo assustadas… O galo largava seus gorjeios e continuava granjeando respeito.
Assim, gota a gota os dias ganharam natalícias graças e, ao galinheiro, sempre gordo, coube glorificar a quadra.
Garotos glutões e sua gente gabaram-se dos galináceos, tão tenrinhos…!!!


Elisa Moreira, 52 anos, Lisboa
Desafio nº 57 – palavras começadas por G em todo o texto, estando entre cada palavra com G, poderá haver até três palavras livres (com um cheirinho de Natal, ou seja, com o desafio nº 28 incluído!)

28 dezembro 2013

Giraço

– Que gato! – diz a Georgina à Gabriela, enquanto o Gonçalo passa.
– É giraço mesmo! Gostas dele? Vai!
– Gostava… mas a Gisela guisava-me com grelos – responde a gaguejar.
– Ele adora gomas, sabias?
– Goza?! … Gonçaaaaalo? – grita com gosto a Georgina.
– Diz – responde o garino, com graça.
– Queres uma goma de girino?
– Sim, obrigado. Gostosa.
– Eu?!
– A goma!!! – responde o Gonçalo às gargalhadas.
A Georgina girou dali para fora. A Gabriela em tom glaciar vingou a garota:
– Grosseiro, gorduroso!

Cátia Penalva, 33 anos, Viana do Castelo

Desafio nº 57 – palavras começadas por G em todo o texto, estando entre cada palavra com G, poderá haver até três palavras livres

Nem gumes nem guerras

Gosto de geleia com muitos gomos de goiabada. Sou gulosa, mas esta gula só será grave se doença gerar.
Entretanto, dá-me gozo poder gritar com toda garra... Porque vida gira é como guitarra que tem gargalhadas de alegria.
Gravita o mundo grandioso, o universo ganha-nos, como um golpe de pura genialidadeGraças a esse gesto, ficou gravada toda a geração.
Não há gumes nem há guerras impedindo a gravitante humanidade de ganhar forçaser grande e generosa.

Regina Graça, 49 anos, Coimbra

Desafio nº 57 – palavras começadas por G em todo o texto, estando entre cada palavra com G, poderá haver até três palavras livres

Imaginário de criança

Sempre ouvi dizer que o Natal deve acontecer todos os dias nos nossos corações.
No entanto, aquele que acontece uma vez por ano, fascina-me pela magia que deixou no meu imaginário de criança.
Gosto das luzes que enfeitam a cidade e que nos fazem brilhar a alma. Gosto da confusão das compras, dos presentes em duplicado, dos almoços entre amigas, do rebuliço das nossas vidas para poder chegar a tudo. Porque isto é partilha e é NATAL!

Isabel Lopo, 67 anos, Alentejo

Desafios nº 28 e 29 – Natal e Passagem de Ano

27 dezembro 2013

Programa 163 – 27 Dezembro 2013

OUVIR o programa! 

No site da Rádio Sim


Tese e antítese
Não mentindo? Nunca acreditarão em nós!
Eles têm a experiência da vida. Anos a fio questionando, observando, registando cada gesto, cada olhar. Têm o nosso comportamento registado ao detalhe. Apanham-nos à mínima hesitação!
Hesitar nunca! A vida formatou-os para acreditarem instantaneamente na sua ciência. Escreverão o capítulo final. Abandonamos o aquário, e dizemos que sempre lhes compreendemos as falas e os raciocínios, que somos cientistas peixes, que os estamos a estudar, nunca mentindo, acreditarão em nós! Não?

Luís Marrana, 52, Oliveira do Douro, Portugal
desafio nº 10

Intercede por elas

Querido Jesus,
Há muito que queria escrever-te. Tenho tanto para te contar!
Os cristãos acabam de celebrar mais uma festa do teu aniversário. Estavas presente, deitado na tua caminha, de olhos abertos, atento e protetor. As crianças entoaram cânticos em teu louvor e exultaram de alegria com os presentes que lhes proporcionaste. Mas, nem todas…! Peço-te que penses naquelas que nada têm. Intercede por elas, invade o coração frio daqueles que muito podem fazer pela Humanidade. Ilumina-os!

Joana Marmelo, 50 anos, Cáceres, Espanha

Desafios nº 28 e 29 – Natal e Passagem de Ano

Inacessível

Olho para a minha prenda com grande laço brilhante que jaz por baixo da árvore Natalícia. O meu pensamento desvia-se para a festinha do ano passado. O meu irmão ainda estava presente, fitava petrificado em frente, inacessível a qualquer emoção. Olhos mortos. Demência e afeição um pelo outro são insuperáveis grandezas, carinho e um nada de reconhecimento. A época de Natal é para pensar nos outros e ter uma atenção extremosa com aqueles que se tornaram inacessíveis.


Theo De Bakkere, 60 anos, Antuérpia, Bélgica
Desafios nº 28 e 29 – Natal e Passagem de Ano

Desejo de Natal

Este ano, decidira comprar uma árvore de Natal branca. Ficou linda! Na cozinha, os cheiros dos cozinhados misturam-se. A mesa está pronta, as crianças correm casa fora numa enorme algazarra. A família está toda reunida. A vizinha que mora sozinha sorria para as crianças com lágrimas nos olhos.
As recordações eram o tema principal. Olhei para todos, reinava a alegria... O Gui tropeça, acordo aflita... suspiro, fora um sonho! Como gostava que os meus Natais fossem assim!

Carla Silva, 39 anos, Barbacena, Elvas

Desafios nº 28 e 29 – Natal e Passagem de Ano

26 dezembro 2013

Programa 162 – 26 Dezembro 2013

OUVIR o programa! 
No site da Rádio Sim


Use para comunicar
Perplexo, fitava  o presente recém-desembrulhado junto à árvore de Natal. Retirou cuidadosamente o objecto da confusão colorida do embrulho, rodando-o na mão, interrogava-se:
– Mas afinal isto serve para quê? Carmen, vê lá isto? – perguntou, passando a estranha oferta para a  mulher, que minuciosamente o inspecionou de todos os ângulos.
– Não faço a mínima ideia!
– Deixa-me ver! – exclamou a benjamim da família, retirando-o  à mãe. – É muito fácil! – disse a filhota. – Basta ler a etiqueta: «Use para comunicar.»


Miguel Horta, 58 anos, Ericeira
Desafios 28 e 29 – Natal e Passagem de Ano

Uma ida ao circo

Guilherminaaa... Sim, mãe! Galhofa é contigo! Gira daí rapidamente. Gostas de Gargalhar, não é? Galhardia, isso tenho. Gaba-te cesto...
Gabrielaaa...Aqui estou! Gémeas homozigóticas, ambas Garridas, Gizaram ver a Grande e esfuziante Gala no Circo Gaulês. Ursos da Gronelândia, chimpanzés da Guiana Francesa, Girafas de Gargantilha da Gratificante África, Gatarrões da Pérsia, Gaios em douradas Gaiolas, em Gorjeios e trinados, Grandiloquentes cãezinhos amestrados...
Gloriosa tarde, Garantida também pelo Gáudio na pista Gelada de ski.
Grandioso belo Circo!

Elisabeth Oliveira Janeiro, 69 anos, Lisboa
Desafio nº 57 – palavras começadas por G em todo o texto, estando entre cada palavra com G, poderá haver até três palavras livres

Uma história engraçada

Cansado, o Pai Natal resolveu meter os papéis para a reforma. Contudo, a Segurança Social só autorizava se este deixasse alguém no seu lugar. Resolveu assim colocar um anúncio no jornal: “Procura-se Pai Natal com curso superior, inteira e imediata disponibilidade para distribuir presentes pelo mundo. As prendas são muitas, não há tempo a perder. Pretende-se que seja multidisciplinar, fale várias línguas, saiba matemática... Ups... Preferência possua colaboradora para ajudar. Oferece-se ordenado mínimo. Empresa sediada em Portugal…”

Graça Pinto, 55 anos, Almada
Desafios nº 28 e 29 – Natal e Passagem de Ano

25 dezembro 2013

O Natal do Frik

Frik estava desconfiado. Afinal, aquilo entrara sem pedir licença, motivara grandes festas, ficara enfeitado como um rei e, agora que se chegava a ele, não lhe dirigia a palavra. Nem parecia dar pela sua presença. Ora, como cão inteligente que era, Frik resolveu falhar-lhe com voz grossa, a usada para afugentar ameaças aos donos. Rosnou-lhe, avançou, ladrou e… Zás! Aquilo atacou-o. Frik fugia agora a ganir, levando a memória da picadela de agulha de pinheiro no nariz!

Margarida Fonseca Santos, 53 anos, Lisboa
(em memória do verdadeiro Frik, ilustrado pela Carla Nazareth a partir de uma fotografia)

24 dezembro 2013

Quimera

Desamparado!... de garrafa na mão, gota a gota, embriagando vida. Gananciosa! Em duros golpes, roubando devotadamente garantias…
Os pensamentos giram em turbilhão. Gigantes problemas, avassaladores, granjeiam soluções.
Ganha-pão inexistente, despojado gratuitamente, aperta o garrote do tempo, gentilmente lhe oferecendo guarida no abismo.
Generaliza procedimentos…
Gesticulando, vai agradecendo… Gutural
Incapaz de ganhar mais uma guerra, esquece a gratidão, galga memórias, escancarando gaiolas opressoras…
Gerando confusão, intempestiva gaivota alforriada, vai gravitando alheia, sonhadora, gentil ao desejo genuíno de voar…

Graça Pinto, 55 anos, Almada                 

Desafio nº 57 – palavras começadas por G em todo o texto, estando entre cada palavra com G, poderá haver até três palavras livres

Natal

Há quanto tempo
não me nevava na alma…
há quanto tempo
as pinhas não crepitavam
ritmando a lareira…
há quanto tempo
não se contava a história
de um bebé
sem lugar para nascer…
e o encanto desse conto
que criou o Natal:
enfeitando-o
com reis,
pastores,
com o paradoxo
que só Cristo soube viver…
É hoje que me embrulho
em histórias,
em desejos,
alegrias e memórias…
E a si que me lê
um Bom e Feliz Natal!!

Jaime A., 49 anos, Lisboa
Publicado aqui: http://gps-poetasdomundo.blogspot.pt/2013/12/natal.html
Desafios 28 e 29 – Natal e Passagem de Ano

desafios nº 28 e 29

Desafios de Natal e Bom Ano, de 2012, relembrados agora

Estes desafios, do ano passado, estarão connosco durante as Festas, para que todos possam, em 77 palavras!, contar histórias de Natal ou de passagem de ano, como preferirem.
Podem até fazer as duas hipóteses!!!

Combinado?
Vamos a isso!

Frik estava desconfiado. Afinal, aquilo entrara sem pedir licença, motivara grandes festas, ficara enfeitado como um rei e, agora que se chegava a ele, não lhe dirigia a palavra. Nem parecia dar pela sua presença. Ora, como cão inteligente que era, Frik resolveu falhar-lhe com voz grossa, a usada para afugentar ameaças aos donos. Rosnou-lhe, avançou, ladrou e… Zás! Aquilo atacou-o. Frik fugia agora a ganir, levando a memória da picadela de agulha de pinheiro no nariz!
Margarida Fonseca Santos, 52, Lisboa
+

O novo ano estava angustiado. Nunca um ano fora tão indesejado! E ele lera as histórias de outros que, antes de si, tinham entrado nesta corrida estranha de alinhar os tempos dos homens. A tarefa parecia fácil, mas agora, com tanta gente a receá-lo, custava! As últimas horas do ano anterior correram mais depressa do que o previsto, talvez fartas do ano que se fechava. O novo ano suspirou fundo. Era agora. E agora?! Inspirou... Entrou!
Margarida Fonseca Santos, 52, Lisboa
Desafios nº 28 e 29 – Natal e Passagem de Ano

Lá longe

Era uma vez uma menina que tinha muitas saudades da sua terra natal, lá longe, no país das uvas.
A menina guardava no seu coração as lembranças dos serões à lareira, embrulhando-as com o laço da intemporalidade. Esse recordar era o seu melhor presente.
Os anos passaram, mas nada mudara na sua essência; aquela noite era sempre mágica e todos estavam sempre muito felizes.
Ao imaginar como seria lá longe, no país das uvas, a menina sorria.

Clara Oliveira, 31 anos, leitora do Instituto Camões em Pequim

Desafios 28 e 29 – Natal e Passagem de Ano

23 dezembro 2013

Programa 161 – 23 Dezembro 2013

OUVIR o programa! 

No site da Rádio Sim


Sonho de Natal
Nesta noite de Natal eu tive um sonho! Um sonho aberto a quem nele queria entrar e onde todo aquele,
que dele quisesse fazer parte, se saudava num abraço amigo, tão apertado capaz de agarrar o mundo.
Depois, nesse mesmo instante se pintava todo o mundo de arco-iris.
A bondade e a tolerancia tomavam conta dos corações e todos eram iguais.
A felicidade esbanjava-se desse abraço e as diferenças, essas, eram tão só nas cores do arco-íris.

Graça Pinto – Almada
Desafios 28 e 29 – Natal e Passagem de Ano

Reflexão de todos

Bom! Excelente, para começar se a imaginação não me faltar.
Saber argumentar e por onde enveredar
É o desafio a enfrentar.
O silêncio pode ser uma arma
Calar pode ser a estratégia, avança o advogado, em defesa do condenado.
Até ao veredito final tudo se pode avançar em abono da verdade.
Ser culpado ou inocente, é o que está por apurar.
Tempo de reflexão. Momento crucial.
De quem? De todos!
Falar ou silenciar, importante é a verdade!

Joana Marmelo, 50 anos, Cáceres, Espanha

Desafio nº 30 – provérbio à esquerda na folha imposto

22 dezembro 2013

Natal

Gatafunhava umas garatujas no papel grosso que o garoto rasgou. Uma gentileza que facilmente germina entre generosidade e afetos. Gesto de Natal glorioso! Graças e louvores. Grande receita, excelente guião para a gula que se gera! E para gravitar à mesa, ganso, a receita gostosa do Google… nem grasnou! Guarnecido com castanhas, gelado de groselha e ginjas no licor, genial! Os reis, guiados pela gentil estrela brilhante, gritavam alegrias. Na gruta em Belém, glorificaram Deus-menino na galeria.
Alda Gonçalves, 46 anos, Porto


Desafio nº 57 – palavras começadas por G em todo o texto, estando entre cada palavra com G, poderá haver até três palavras livres

21 dezembro 2013

Pétalas guardadas

Para gozar do gentil perfume das glicínias e dos gladíolos bastava ganhar coragem e girar a grande maçaneta. Assim garantira Gilson.
– Que gaita é esta? – gritou Galveia, para granjear atenção do genitor dos garotos.
– Anh? – ousaram gemer os gentios, que os gerânios desfolhavam.
Enquanto guardava as provas, Galveia girava o olhar, gerando desconfiança.
Os gabarolas, enfurecidos, grunhiam, mas geriam a fúria, garantindo que não germinava um castigo.
Gloriosos partiram, pétalas guardadas nos bolsos, gemidos entalados nas gargantas.

Quita Miguel, 54 anos, Cascais

Desafio nº 57 – palavras começadas por G em todo o texto, estando entre cada palavra com G, poderá haver até três palavras livres

20 dezembro 2013

Programa 160 – 20 Dezembro 2013

OUVIR o programa! 

Ouvir no site da Rádio Sim

Sobreviver
caos assolou e o caso não muda de figura. O saco enche-se de questões por responder e actos falhados. Palavras ocas caem de dor, sentem asco de si e repulsa a somar. Estilhaçam no chão, sem que alguém cosa ou sinta o impulso de lhes retomar a forma. O ocaso tornou-se habitual e convive-se com ele como se não fosse a completa ausência de sol, de vida. Nem soca, nem tamanco. Nem coas, nem destilas. Sobrevives.

Salvador Fachada, 25 anos, Lisboa
Desafio Rádio Sim nº 7 – anagramas com S C O A

Aconteceu connosco

No sítio do costume vou passar para te esquecer. As frases simples que me disseste fizeram-me procurar alguns sítios românticos. Paciente fui eu por te esperar naquela esquina, o meu ombro me pediste simplesmente para contares a história da tua vida. Comigo vieste aconselhar-te na ideia de eu te consolar. Ralhei-te zangado por atrapalhares o conceito de vida que tinha para nós.
Aconteceu connosco uma história que não acabámos de concluir. Um dia voltaremos a nos encontrar.

Aurora Fernandes, Carlos Pacheco e Magda Conceição – turma EFA 2 B3 Esc Sec da Amora, Profs. Manuela Bernardino e Fernanda Bucho
Desafio nº 34 – grelha de 16 palavras obrigatórias

Ser solidário

Bom Natal! Desejamos a toda a gente.
Saber festejar e comunicar com a família e os amigos.
É uma época maravilhosa mas também triste para muitos.
O momento mais feliz de todo o ano para quase todos.
Calar as crianças? É impossível!
Até nos sonhos a magia acontece, brilho e luz.
Ser solidário? Sim é a nossa obrigação.
Tempo de pensar nos mais desfavorecidos, nos doentes.
De partilhar, ajudar.,
Falar, com o coração aberto e boa vontade.

Bruno Caseiro, Fátima Lopes e Mariquinhas Gabriel – turma 2B3 Esc Sec da Amora, Profs. Manuela Bernardino e Fernanda Bucho

Desafio nº 30 – provérbio à esquerda na folha imposto

O Fim Do Mundo

Gosto do apocalipse. Galáxia em peso gnosiologicamente abate num grande descalabro impotente. Gansos tentam escapar, grades tentam suportar, galãs, não importa. Gatafunhos em vão. Gelo. É muito giro não contar generosas calamidades destas. Gigantesco mal impossível. Generaliza-se a dor gradualmente maior. Os génios pouco servem, governos não salvam, girassóis nada seguem. Gráficos ao alto, gabardines no chão. Ganha-pão procura-se. Urgente. Gelado sopra forte gera-se vento insuportável. “Glória a voz”. Gótica oração meticulosa. Gratidão, último suspiro. Graça. Morremos.

Salvador Fachada, 25 anos, Lisboa
Desafio nº 57 – palavras começadas por G em todo o texto, estando entre cada palavra com G, poderá haver até três palavras livres

Desde criança

Bom, desde criança que eu gostava muito de ajudar o meu pai a consertar tudo e de
Saber que ele era tão bom naquilo que fazia.
É certo que eu não sabia
O que era
Calar, era tão curioso que passava a vida a perguntar.
Então, ele dizia:
“Calma filho,
 Até do lixo nasce uma flor.
O que é para
Ser será, tudo tem o seu
Tempo
De acontecer”. Com tantas histórias passávamos a noite a
Falar.

Josezito Alves – turma EFA 2EI, Esc Sec da Amora, Profs. Manuela Bernardino e

Desafio nº 30 – provérbio à esquerda na folha imposto

Desafio nº 57

Vamos fazer uma base de dados em conjunto com palavras que tenham a letra G no início – precisamos de muitas! 
Depois, a ideia é construir um texto em que, 
entre cada palavra com G, existam apenas uma ou duas palavras livre s (no máximo dos máximos três).

É tão divertido!!!

Está aqui a minha:
– Não é grifo, é ganso, homem. Deste-lhe guarida, deu nisto – gaguejou a mulher gorda, em gestos parvos de gafanhoto, limpando a goela com gin.
Mas o ganso metera-se na geringonça que Gustavo inventara, numa ganância para descobrir guerreiros do além.
Ganso! – gritou o homem. – Ganso!
– Que grunho! Achas que gorgolejando assim o ganso vem?
Bastante grogues, recuperaram, e, ganhando coragem e gesticulando, assustaram-no. Então, gravitando levemente, o ganso apareceu, deitando gotas de ouro, gatafunhos celestiais e giestas.

Margarida Fonseca Santos, 53 anos, Lisboa
Desafio nº 57 – palavras começadas por G em todo o texto, estando entre cada palavra com G, poderá haver até três palavras livres