26 junho 2017

Programas Rádio Sim - semana 26 junho 2017

Todos os programas, sempre com Helena Almeida e Inês Carneiro, 

nas Giras e Discos, podem ouvir-se aqui (ou pelos links que estão em baixo).


Indicativo do programa:








- Música e letra: Margarida Fonseca Santos; 
Arranjos, direcção musical, piano e voz: Francisco Cardoso
- Histórias de Cantar CD - Conta Reconta

Horário na Rádio Sim - 17h45, todos os dias

Quer saber que histórias foram lidas? Vá por aqui:

25 junho 2017

Sofia Martins ― desafio nº 74

Romeu e Julieta nas “Montanhas da Cabra”
Era uma vez duas montanhas longínquas, as “Montanhas da Cabra”. No vale por elas formado, corria um rio de água transparente, no qual as cabras costumavam ir beber água.
Lá, morava um gato preto que adorava passear à noite. Num dos seus passeios noturnos perto do rio, avistou uma gatinha branca na outra margem. Ao olharem um para o outro, apaixonaram-se. Porém, não se podiam tocar, pois não havia uma 
ponte para atravessarem. Então, ficaram ali... tristes!"
Sofia Martins, 13 anos, Montijo, Escola Secundária Jorge Peixinho, prof São Almeirim

Desafio nº 74 – nada em que se transformara

Alba Molina, Jorge Reina ― desafio nº 37

O homem do vinho
Ernesto foi um homem muito sério. Ninguém soube porque ele trouxe um sorriso nesse momento. Entrou no hotel e pediu um copo de vinho. Depois subiu.
O homem do hotel quis perceber o porquê, contudo, nem sequer perguntou.
Uns minutos depois, o nosso homem desceu e cruzou o hotel inteiro. Deixou o edifício.
Nesse momento um menino disse: “Um morto” Um morto no corredor! Todos os homens e mulheres do povo dormem com temor desde esse momento.
Alba Molina, Jorge Reina, 14 anos, Escola Secundária Zurbarán, Badajoz, prof Catarina Lages

Desafio nº 37 – uma história sem usar a letra A

Rita Rodrigues ― desafio nº 3

Inúmeras coisas para fazer 
Era dia um de fevereiro. Levantei-me às sete e calcei as minhas duas pantufas. Seguidamente, dirigi-me à cozinha e preparei um leite quentinho que acompanhei com três bolachas.
Depois, fui arranjar-me. Às oito nove, estava pronta e, então, dirigi-me para a rua para passear o meu cão. Demorei seis minutos. De seguida, começou a correria: cinco minutos para preparar a mochila, quatro para o lanche…
Finalmente, fui para a escola e lá cheguei à sala A1.10.
Rita Rodrigues, 12 anos, Montijo, Escola Secundária Jorge Peixinho, prof São Almeirim

Desafio nº 3 – números de 1 a 10

Rubén Donoso, Diego Vadillo ― desafio nº 76

Narnia
Na semana passada vi um filme de animais que falavam e eram grandes. Eram bastante inteligentes. Queriam dançar e ser livres, mas estavam assim numa cela e estavam tristes.
Mas um dia fugiram, apanharam umas bicicletas vermelhas grandes e tinham três luzes. Mais tarde, decidiram viajar para um lugar que se chamava Narnia. Em Narnia havia muita gente e fizeram amizades mágicas. Passaram três semanas. Nesta cidade ficaram livres, alegres e viveram felizes até à semana seguinte.
Rubén Donoso, Diego Vadillo, 14 anos, Escola Secundária Zurbarán, Badajoz, prof Catarina Lages

Desafio nº 76 – escrever sem a letra O

Catarina Cordeiro ― desafio nº 1

Momentos
pena que me dava ver aquele sorriso tão belo a desvanecer-se por entre as chamas que ardiam sem se ver! Aquele fogo tão denso penetrava dentro do seu olhar, percorrendo todo o caminho até ao seu coração.
Do seu rosto caía apenas uma doce e pura lágrima. Tão doce quanto a chuva de verão que purificava a sua alma, sem deixar qualquer marca. Ele era livre e determinado. Porém, apenas o afetava o sentimento da solidão.
Catarina Cordeiro, 12 anos, Montijo, Escola Secundária Jorge Peixinho, prof São Almeirim

Desafio nº 1 – palavras impostas: pena, sorriso, fogo

Gema Bárbara Gil, María Elias, Luisa Gómez ― desafio nº 76

Na janela aberta
A Sara apercebeu-se um dia que da sua janela se via a casa de Archie e ela sentia muita felicidade. Um dia ela estava sentada na sua cadeira a ler e Archie apareceu triste através da sua janela. Ela inquieta perguntava: Que fazes na minha casa? Ele disse: tive dúvidas em vir à tua casa, eu estive a pensar muitas vezes em ti, via-te da minha janela e dizia: És a minha amante, Sara. Ninguém disse nada.
Gema Bárbara Gil, María Elias, Luisa Gómez, 14 anos, Escola Secundária Zurbarán, Badajoz, prof Catarina Lages

Desafio nº 76 – escrever sem a letra O

Carolina Mendes ― desafio nº 1

Os nossos olhares
Os nossos olhares estavam entrelaçados e sentíamos pura magia. O seu sorriso encantava-me e os seus olhos olhavam-me como se fosse uma flor.
Passeávamos no parque e vimos um lindo pássaro de cor vermelha como a cor do fogo. Virámo-nos um para o outro e beijámo-nos. Aquele beijo foi tão leve como o de uma penaesvoaçando pelo céu. Aquele momento foi mágico e durou séculos. Continuámos a caminhar, acreditando que o destino estava do nosso lado.
Carolina Mendes13 anos, Montijo, Escola Secundária Jorge Peixinho, prof São Almeirim

Desafio nº 1 – palavras impostas: pena, sorriso, fogo

Alejandro Díaz, Arturo Delgado, Hugo Calderón ― desafio nº 37

MD Pollo
Este é um grupo de jovens que põem vídeos no Youtube e têm muitos seguidores pelo seu conteúdo divertido e cómico, têm um estilo muito diferente dos outros Youtubers, todos vivem em Tenerife. Um dos vídeos foi visto por quinhentos mil seguidores, foi o “Seven Sweets”. Todos os meses eles têm concertos por todo o mundo, vivem deste seu conteúdo, têm muito dinheiro e o número de seguidores cresce velozmente. Um dos jovens é um novo youtuber.
Alejandro Díaz, Arturo Delgado, Hugo Calderón, 14 anos, Escola Secundária Zurbarán, Badajoz, prof Catarina Lages

Desafio nº 37 – uma história sem usar a letra A

Matilde Pires ― desafio nº 74

O rio e a cabra
Lá estava eu no meu moinho, situado junto a uma ponte que atravessava o rio Douro de um lado ao outro.
Ali próximo, havia um prado deserto, onde apenas passavam os pastores, juntamente com as suas cabras. Uma delas era especial. Aquela cabra, sempre que por ali passava deitava-se junto ao rio e olhava para ele seriamente.
O que será que aquele rio tinha que tanto fascinava o animal? 
Seria o seu reflexo? Seria a sua beleza?  
Matilde Pires, 13 anos, Montijo, Escola Secundária Jorge Peixinho, prof São Almeirim

Desafio nº 74 – nada em que se transformara

Mariana Faria ― desafio nº 1

Discussão entre namorados
– Sentes-te bem, meu querido? Tens andado tenso... – disse a Joana.
– Tu achavas que eu não ia descobrir?
– Amor, tu sabes que não consigo resistir à cobertura suave como uma pena e doce como um sorriso. Sabes que não consigo resistir aos sabores tropicais. E para não faltar nada, aquela cereja da cor do fogo. Nunca tal irei esquecer!
– O quê? – perguntou ele. – Não era para um rapaz que estavas a olhar?
– Não! Era apenas para um bolo.
Mariana Faria, 12 anos, Montijo, Escola Secundária Jorge Peixinho, prof São Almeirim

Desafio nº 1 – palavras impostas: pena, sorriso, fogo

22 junho 2017

Ana Paula Oliveira ― escritiva nº 21

O meu marido sempre foi duro de ouvido, quer para cantar, quer para línguas estrangeiras.
Fomos de férias para o sul de Espanha e passámos uma noite num hotel, em Sevilha, onde jantámos.
Na hora de pagar, disse-lhe a rececionista:
Tu tienes una cena…
― Cena???? Não houve cena nenhuma. A minha mulher deitou-se e dormiu toda a noite…
― Como asi???
De longe, apercebi-me da atrapalhação de ambos. Às gargalhadas, gritei-lhe:
― O jantar de ontem! É para pagar!
Ana Paula Oliveira, 56 anos, S. João da Madeira

Escritiva nº 21 ― falsos amigos (palavras com vários significados)

Carla Silva ― desafio RS nº 50

Complicações
Desculpa?! A culpa é minha?
― Claro! De quem mais? Tu e essa mania de contar tudo o que ouves! Não viste que se ia complicar?
― Alguém tinha de a desmotivar, fazer-lhe...
― Desmotivar?! Diz antes motivar! Agora está ali a descontar no pobre, quando não devia ligar peva ao que disseste.
― Não disse nada de mais.
― Não?! Parecias uma espingarda com o automático encravado, sem o conseguires desligar
― Admito, errei! E agora?!
― Agora?
― Sim, como descomplicar?
― Perguntas bem.
Carla Silva, 43 anos, Barbacena, Elvas

Desafio RS nº 50 ― palavras com prefixo des

Maria Silvéria dos Mártires ― desafio RS nº 46

Enfrentando a mudança
Juntando uma e todas as palavras para,
saber escrever bem e sem perturbação ou
confusão, estou sempre a consultar o meu
coração, para evitar mal entendidos e alguma
Polémica, fujo do escuro e enfrento a
Luz mesmo pouco intensa há sempre uma
Nesga, que através das frestas das janelas
Simples, iluminam e não deixam esconder a
Mudança, quando caminhamos e o chão fica
Pisado e às ervas rastejantes fico preso.
Me enleio e meu andar fica parado
Maria Silvéria dos Mártires, Lisboa

Desafio Rádio Sim nº 46 – 12 palavras impostas

21 junho 2017

Margarida Fonseca Santos ― escritiva nº 21

― Ai, que engraçada! ― disse, para dar a entender que era uma fã da chefe.
― Qué dices?!
― Desculpe, desculpe, estava a comentar que gosto muito dessa sua blusa, linda de morrer! Credo, que até fiquei embaraçada…
― Embaraçada?! Tú?!
Foi despedida duas horas depois. Sem perceber porquê, veio choramingar para casa, onde o namorado, espanhol, não parou de rir.
Mais tarde, aflita e acompanhada do tradutor doméstico que quis ir consigo, recuperou o emprego, mas não do verdadeiro embaraço!
Margarida Fonseca Santos, 56 anos, Lisboa
Escritiva nº 21 ― falsos amigos (palavras com vários significados)

Manuela Branco ― desafio RS nº 50

Desculpa se errei!
Foi desconhecimento, foi por amor, foi por querer o Mundo só para ti.
Desfaço os nós da minha mente, que desmente o desfazer da minha culpa.
apertar do peito, o desgosto do tempo perdido, o desapertar da mágoa, leva-me ao conhecimento da paixão que gosto e prezo ter por ti.
Faço parte da tua vida sempre, e o que melhor sei fazer é amar-te até morrer.
Um filho é outro coração que bate!
Manuela Branco, 60 anos, Alverca.

Desafio RS nº 50 ― palavras com prefixo des

Sandra Antúnez e Irene Almazán ― desafio nº 76

Férias na praia?
A Sandra vai à praia nas férias, mas a sua família quer ir à piscina. Ela estava chateada e queria ir à praia sem ninguém. Na praia, ela agitava-se na areia e achava que a água estava diferente. Ela principia a andar depressa, e vê muita gente a gritar. Ela sabe que é um tsunami, está quase a alcancá-la, ela desata a gritar, a andar rapidamente, pensa que vai falecer. De repente, ela sai agitada da cama. 

Sandra Antúnez e Irene Almazán, 14 anos, Escola Secundária Zurbarán, Badajoz, prof Catarina Lages
(texto vencedor de um concurso com jovens que estudam PLE)
Desafio nº 76 – escrever sem a letra O

Mara Domingues ― desafio RS nº 50

Tinha escolhido desvalorizar o amor ao longo dos anos, possivelmente para se poupar à descoberta do desgosto mas sempre fora honesta com aqueles de quem gostou, até porque seria uma deselegância da sua parte não esclarecer desde início as suas intenções.
Preferia levar uma vida de desamor mas coberta das suas certezas do que valorizar o que não dependia só de si. Gostava de se mover dentro das suas relações de forma elegante, segura e sem surpresas.
Mara Domingues, 36 anos, Lisboa

Desafio RS nº 50 ― palavras com prefixo des

Theo De Bakkere ― escritiva nº 21

Uma conversa mal-entendida
― Desculpe-me, procuro a quinta das pegas, queria comprar uma dessas pegas formosas para o meu filho.
― Ai, Senhor, não sou daqui. Talvez saiba mais o homem sentado no burro ao lado daquela velha pega.
― Desculpa-me, não noto, nem pega nem burro.
― Não vê o homem e a mulher no banco?
― Ah sim!
― Então, com certeza saberão onde se vendem pegas domesticadas que sabem falar.
― Mas não procuro um cavalo falante, mas uma pega, um cavalo de duas cores.
Theo De Bakkere, 65 anos, Antuérpia, Bélgica

Escritiva nº 21 ― falsos amigos (palavras com vários significados)

Natalina Marques ― escritiva nº 21

Não comes?
Dói-me a mó (dente).
Pois, está encravada,
esta semana não tens farinha para a fornada.
Hoje não posso regueirar (regar)
não sei da enchada, a manga (mangueira) está cobrada (partida).
Vais, ó Ti Manel, a buscar outra, depois faço a paga com pão.
A enchada está ao cabo (fundo) da meroça (pedaço de terreno).
O Zé?
Está mal, bateu com a canela (perna) numa fraga (pedra)
Sim, e porque não puseste no arroz doce?
Esqueci-me.
Natalina Marques, 58 anos, Palmela

Escritiva nº 21 ― falsos amigos (palavras com vários significados)

Domingos Correia ― desafio RS nº 50

Um passo em frente, dois para trás
Eram dois compadres. Um sóbrio, o outro, o Manel, sempre bêbado. Enquanto havia farra, tudo engraçadoDesengraçado, era na hora de voltar. O Manel, não andavadesandava! Um passo em frente, dois para trás. Adivinha-se o resultado…
Um dia, o compadre olhou-o, desolhou-o…
“Estou farto… mas ser desleal? deixá-lo aqui embrulhado?… quem haveria de o desembrulhar?...”
Então, amigo leal, virou-o ao contrário. Assim, dando um passo em frente, afastando-se, mas dois para trás, aproximando-se, chegou a casa.
Domingos Correia, 59 anos, Amarante

Desafio RS nº 50 ― palavras com prefixo des

20 junho 2017

Desafio Escritiva nº 21

Em espanhol e em português há muitas palavras traiçoeiras que me passam rasteiras com alguma frequência. Por exemplo, cola. Ora em espanhol é fila, ou seta, um tipo de cogumelo, ou vaga, que em espanhol é preguiçosa. 
Isto que me acontece com estas duas línguas, ocorre também com muitas outras, por isso, acho que estes “falsos amigos” merecem, ser “denunciados”.

Aqui fica a minha "queixa":
Andava há horas à procura da seta amarela que me indicaria o caminho certo, quando me encontrei com um senhor simpático que me garantiu saber onde poderia encontrar “setas”. Eu, que queria apenas uma, pensei que melhor “setas” a mais do que a menos. E lá fui atrás dele. Não, não descobri o albergue de peregrinos, mas comi um belo prato de “setas”, que eu conhecia apenas como cogumelos, acompanhado de um belo “vaso” de vinho tinto!
Paula Cristina Pessanha Isidoro, 36 anos, Salamanca
Escritiva nº 21 ― falsos amigos (palavras com vários significados)

19 junho 2017

Fernanda Costa - desafio nº 98

Piso o local pela primeira vez, anseio pela água salgada. Vou de carro, depois a pé. A insegurança domina-me, mas o caminho chama-me.
Há uma propriedade privada, fabulosa, imponente, construída em dias felizes. A decadência é visível, as palmeiras há muito se despediram. Apesar de tudo, merece ser amorosamente requalificada. 
Em deslumbramento, atravesso-a!
Encontro um oceano brando ― o rio recebeu-o.
Na praia, há conversas esclarecedoras ― o local é paradisíaco.
Não tenho dúvidas, os anjos pegaram-me ao colo.
Fernanda Costa, 55 anos, Alcobaça

Desafio nº 98 – fotog de P Teixeira Neves

Programas Rádio Sim - semana 19 Junho 2017

Todos os programas, sempre com Helena Almeida e Inês Carneiro, 

nas Giras e Discos, podem ouvir-se aqui (ou pelos links que estão em baixo).


Indicativo do programa:








- Música e letra: Margarida Fonseca Santos; 
Arranjos, direcção musical, piano e voz: Francisco Cardoso
- Histórias de Cantar CD - Conta Reconta

Horário na Rádio Sim - 17h45, todos os dias

17 junho 2017

Isadora Quaresma e Inês Garcia ― desafio nº 35

Eles não sabem que o sonho
é a chave da imaginação
e alguns, nem pensam, nem sonham
o quão maravilhoso é sonhar.

Um mar de realidades,
uma floresta de emoções,
universos paralelos,
um planeta de canções.

Tu aí, que pensas que os sonhos
são coisas banais,
digo-te que eles são os responsáveis
pela evolução e outras coisas que tais.

Sonhar é voar num céu imenso,
algo presente na nossa mente
e dizê-lo cantando a toda a gente!
Isadora Quaresma e Inês Garcia, 12 anos, Escola Básica 2,3 do Castelo, Sesimbra, prof Carla Silva
Desafio nº 35 – partindo de dois versos de autor

O primeiro verso é de António Gedeão e o último de Florbela Espanca