05 junho 2017

Theo De Bakkere ― desafio nº 119

Confeitos de açúcar
O divino soberano nipónico sentado no trono do Crisântemo observava chateado as preciosidades trazidas por aqueles estrangeiros de narizes salientes. Apenas a caixinha com confeitos de açúcar tirou o interesse imperial. Uma das suas concubinas preferidas gostava de prová-los. Hesitando, meteu uma guloseima na boca e com uma olhada surpreendida deixou um gritinho de êxtase. Era tão saborosa!
Precisamente esta doçura que não vale um alfinete abrirá as portas do país do sol nascente para os Lusos…
Theo De Bakkere, 64 anos, Antuérpia, Bélgica

Desafio nº 119 ― crisântemo + alfinete

3 comentários:

  1. gosto muito da sua história. obrigada

    ResponderEliminar
  2. Obrigado,no entanto sou uma àrvore estrangeira no solo dos Lusos que somente podia crescer com as ajudas da Margarida .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, não é bem assim - é um estudioso incansável e tem uma forma de ver o mundo que nos encanta!

      Eliminar